quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

(h)a vida em mim



meu corpo virou rio
para meu peixe navegar
um coração vibrando no peito
outro vivendo no ventre

és fruto da mais bela
semente que já cultivei
te sinto germinar

a cada movimento seu
ocupando espaços meu
encho-me de mais amor

és poesia em mim
socos que fazem sorrir
chutes que acariciam a pele

lindo sonho sem fim
imagino seus olhos
desenho seu rosto

pequeno pedaço de vida
infinita construção de sentimentos
magnitude obra da natureza

te espero o tanto que te quero
enquanto te guardo por dentro

Nenhum comentário:

Postar um comentário